Muitos dos animais resgatados e para adoção divulgados pelo grupo Irmão Animal, estavam nas ruas, por terem sido abandonados por seus tutores, o que poderia ter sido evitado se todos avaliassem melhor as responsabilidades de criar um animal, e como fazê-lo de forma responsável.

Então fazemos a pergunta: Você está pronto para adotar? Antes de adotar um peludo, reflita: – Obtenha a concordância de todos da família; – Verifique se há recursos financeiros necessários para manter o bichinho. Ele vai precisar de ração, medicamentos e eventuais cuidados veterinários; – Verifique se há quem fique com ele durante viagens inesperadas, férias e feriados prolongados; – NÃO dê animais de presente. Não imponha um animal a quem não fez uma escolha consciente de adotá-lo. Animais não são brinquedos ou objetos, nem presentes! – NÃO adote ou compre um animal de uma determinada raça só porque está na moda, pois a moda passa. Os vira-latas também são maravilhosas companhias. – Se escolher adotar um filhote, lembre-se: ele é fofinho e pequenininho agora, mas vai precisar de mais cuidados, terá que ser disciplinado e crescerá rapidamente. Se você não tem paciência ou tempo para criar e disciplinar um filhote, adote um animal adulto. – Os filhotes costumam ser estabanados e precisam ser disciplinados, com carinho, para não roerem, arranharem ou quebrarem objetos e móveis. Seja paciente e deixe-o com muitos brinquedos! – Lembre que todo bichinho precisa de visitas periódicas ao médico veterinário, de atenção e carinho. Não basta dar só comida e água, é necessário dar amor; – Esteja consciente de que todo animal faz xixi e cocô. Verifique quem vai se responsabilizar pela limpeza da caixa de areia do gato ou do local escolhido por seu cão; – Animais não podem ficar ao relento, passando frio ou calor. Se ele for ficar no quintal, você terá que providenciar um abrigo fresco no verão e quentinho no inverno. Também não é correto deixar o animal preso ou acorrentado. Animais precisam de espaço, carinho e exercícios; – Mesmo morando em apartamento, a lei lhe garante o direito de ter animais de estimação. Você só tem que tomar cuidado para não incomodar os vizinhos; – Considere adotar um segundo animal. Bichos que têm companhia de outros animais são mais seguros e felizes, raramente têm depressão ou tristeza, brincam e se divertem sem ficarem dependentes dos humanos.
Banner Irmo Animal_web
Depois de adotar um bicho: – Assim que o seu amigão chegar em casa, coloque imediatamente uma plaqueta com seu nome e o seu telefone na coleira dele. Se por infelicidade ele algum dia fugir e se perder, será facilmente devolvido a você; – Pesquise a legislação de sua cidade e, se necessário, faça o RG do animal no Órgão Público Responsável. Com isso, caso algum dia ele seja apreendido pela carrocinha, você será avisado; – Caso seu bichinho ainda não tenha sido esterilizado, providencie a esterilização o mais rapidamente possível. Dessa forma, você evitará crias indesejadas e estará contribuindo para pôr um fim ao ciclo de abandono de animais; – É necessário colocar telas de proteção em janelas, áreas de serviço e varandas de apartamentos para evitar quedas fatais ou que provoquem ferimentos muito sérios; – Mantenha o animal sempre dentro de casa, jamais solto na rua, principalmente se for sem supervisão de um humano adulto; – Para os cães, passeios são fundamentais. Mas atenção: só permita que eles saiam de casa acompanhados por uma pessoa responsável. O bichinho deve usar coleira com identificação e guia. A pessoa que conduzir o animal precisa ter força para contê-lo, se ele for de porte grande. Ao passear em vias públicas, recolha e jogue o cocô no lixo; – Gatos não precisam fazer passeios na rua. Eles vivem muito bem dentro de casa ou do apartamento. Caso tenha que sair de casa com seu gato, use a caixinha de transporte. As ruas urbanas são muito perigosas para gatos soltos e desacompanhados, eles podem ser atropelados ou envenenados. Se você mora em casa, veja a possibilidade de colocar telas de proteção nos acessos para a rua; – Forneça água, alimento balanceado, abrigo contra o calor, frio e chuva. Jamais deixe seu animal preso e/ou acorrentado; – Banhe, escove e exercite o animal periodicamente. Gatos de pêlo curto não necessitam de banhos constantes; – Leve o animal regularmente ao veterinário; – Mantenha em dia a vermifugação e a vacinação; – Zele pela saúde psicológica do animal. Dê-lhe atenção, carinho, estímulos e ambiente adequado; – Se necessário, eduque o animal por meio de adestramento, mas sem agressividade e respeitando suas características comportamentais. Recompensas funcionam melhor que castigos; – Eduque as crianças para respeitar o amigão da casa. Não as deixe bater, morder, chutar, torcer, puxar ou jogar o animal contra paredes, de escadas e de janelas. Muitos animais que ferem crianças foram agredidos primeiro e só estavam se defendendo. Dê um ótimo exemplo e não maltrate seu animal; – Quando for viajar para lugares onde não é possível levá-lo com você, deixe-o com um parente ou amigo ou peça que cuidem dele na sua ausência. Em último caso, leve-o em um bom hotel, onde não fique confinado e receba atenção; – Nunca abandone nenhum animal. Ele corre o risco de sofrer todos os tipos de maus-tratos na rua, como espancamento, mutilações, envenenamento, queimaduras… Ele sentirá frio, fome e sede. Ele poderá ser atropelado, ficar ferido, doente, sentir dor, medo, tristeza… Vantagens de se Adotar um Animal Adulto: – Mais tranqüilos, não latem muito e não choram à noite; – São mais obedientes por já terem uma capacidade de assimilação maior; – São mais independentes no caso de ter que ficar sozinhos por algumas horas; – Dificilmente destroem sapatos, móveis ou coisas dentro de casa; – Aprendem a fazer as necessidades no local adequado com maior facilidade e velocidade; – É mais fácil saber, antes de adotar, se ele é quieto, brincalhão, se gosta de correr ou se é mais reservado; – Você não terá dúvida alguma sobre o tamanho dele; – Evacuam menos que os filhotes (geralmente 2 ou 3 vezes por dia); – Se adaptam rapidamente ao ambiente e às pessoas da casa, incluindo as crianças; – Não precisam de duas a quatro doses de vacinas no primeiro ano como os filhotes (apenas a manutenção anual); – São mais atentos a chegadas de pessoas; No caso de cães, defendem mais a casa; – Serão amigos fiéis e eternamente gratos a você Vantagens de se Adotar um Vira-Lata: Recentes reportagens apontam que cada vez mais pessoas ricas e sofisticadas escolhem adotar vira-latas!!! Por que? Os cães e gatos de raça são muito charmosos, mas os vira-latas derretem os nossos corações. Nós adoramos os animais sem raça definida, os chamados vira-latas ou SRD: – São divertidos, brincalhões e despretensiosos. – Vivem ganhando concursos de inteligência canina ou felina. – A mistura de raças torna o virinha mais saudável, porque ele tem maior diversidade genética. – Alguns bichos de raça, por serem resultado de cruzamento de animais com parentesco, são mais propensos a terem doenças; – Os viras são ótimas companhias. Você tem receio de levar um filhotinho virinha pra casa e ele se tornar um cachorrão? Olhe para as patas dele, elas dão boa indicação do porte que o bicho terá quando adulto. Com gatos, porém, não há esse problema. São todos mais ou menos do mesmo tamanho… Informações retiradas de www.pea.org.br Os 10 Mandamentos da Posse Responsável I – Não abandonarás O tempo médio de vida de um cão é 12 anos. Certifique-se de que toda a família cuidará dele. II – Protegerás como a teu semelhante Garanta abrigo, alimento, vacinas e bem-estar. E não se esqueça de levá-lo regularmente ao veterinário. III – Não cobiçarás o cão do próximo Faça o registro do seu bicho no Centro de Controle de Zoonoses e identifique-o pondo uma coleirinha com nome ou microchip. Isso facilitará caso ele seja encontrado em caso de perda ou roubo. IV – Não maltratarás Informe-se sobre as características da raça antes de adotar. V – Lembrarás de todos os passeios Passeios são essenciais aos cães, mas só leve-o para rua se conseguir segurá-lo. VI – Não discriminarás Os abrigos estão lotados de animais abandonados – muitos são de raça! Dê uma segunda chance a eles. VII – Amarás como a ti mesmo Reserve tempo para cuidar da saúde psicológica do animal. Dê a ele carinho, atenção e um ambiente adequado. VIII – Não tomarás o nome dele em vão Eduque bem seu animal para que não seja preciso xingá-lo ou puni-lo quando fizer algo errado. IX – Perdoarás as ofensas Toda vez que sair com seu bicho de estimação para passear na rua, recolha as fezes dele e jogue em local apropriado. Afinal, amanhã pode ser você a pisar em cocô de cachorro… X – Não matarás Castre o cão para evitar crias não desejadas. No caso de fêmeas a cirurgia previne câncer de mama e de ovário. Nos machos previne câncer de testículos.