HISTÓRIA INFANTIL: A ESCOVA DE DENTES E O CACHORRO

HISTÓRIA INFANTIL: A ESCOVA DE DENTES E O CACHORRO
Data: 08/01/2009
Créditos:
Autor: Antonio Marcos Pires
Título: A escova de dentes e o cachorro – TEMPO: 4:06
Apresentador (Loureiro Neto) e Mariana e Dona Sueli (Zora Yonara)
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (ANTONIO MARCOS PIRES – EDITORA SANTUÁRIO – SP)
A escova de dentes e o cachorro – 4:06
Apresentador (Loureiro Neto), Mariana e Dona Sueli (Zora Yonara)

(APRESENTADOR)
 Mariana aproveitou que a mãe estava distraída com a televisão e foi dormir sem escovar os dentes. Preguiçosa, a menina que completara seis anos, não gostava de tomar banho e nem de escovar os dentes. Achava os hábitos de higiene inúteis e trabalhosos. Quando lhe perguntavam porque não gostava de banho e nem de escovar os dentes, tinha resposta na ponta da língua:
(Mariana) – Pra quê? Amanhã vou me sujar novamente. E vou comer mais doces.
(Apresentador) Os vizinhos e os colegas de colégio achavam graça na resposta. Só a mãe da menina ficava furiosa porque a filha não seguia os hábitos de higiene. Um dia, Mariana acabou de almoçar e comeu uma enorme salada com cebolas. Depois do almoço, ela ignorou os conselhos da mãe para escovar os dentes. Apressada, saiu para o quintal e foi brincar com Branquinho, o poodle da família. Ao contrário de Mariana, o cachorro adorava água e sabão.   Quando a menina chegou perto do animal e começou a brincar com ele, Branquinho se encolheu, começou a espirrar e saiu de perto da menina. Mariana o chamou jogando o osso de borracha, mas o cãozinho nem se mexeu. Ficou deitadinho no canto e ignorou a presença da menina. Mariana fez carinho nele e nada, ele nem saiu do lugar. Parecia triste e cabisbaixo. Preocupada, foi falar com a mãe:
(Mariana) – Mãe, o Branquinho tá muito esquisito. Não quer mais brincar comigo. O que será que fiz para ele? Será que ele está doente?
(Apresentador) Dona Sueli foi até o cantinho que Branquinho estava deitado e acarinhou o cachorrinho. Ele abanou o rabo e sacudiu a cabeça. A mãe da menina percebeu que o cachorro não tinha nada, mas aproveitou a oportunidade e disse:
(Dona Sueli) – Acho que o Branquinho não gostou do seu hálito de cebola!
(Mariana) – Será, mãe?
(Apresentador) Por coincidência assim que dona Sueli falou a palavra cebola, como que por encanto, Branquinho começou a espirrar e a mexer com o focinho pra cima e pra baixo.
(Dona Sueli) – Viu, filha? Ele não agüenta sua boca cheirando a cebola. Acho melhor você escovar os dentes.
(Apresentador) Pela primeira vez, Mariana sentiu que seu hálito não estava agradando nem o cachorrinho que ela tanto adorava. “Se até o Branquinho, seu fiel companheiro fugia dela….imagina os amiguinhos “ – Pensou preocupada. Envergonhada, foi até o banheiro e passou quase cinco minutos escovando os dentes. Aproveitou e tomou um banho demorado para se refrescar. A mãe, quando viu a cena, sorriu de alegria e piscou o olhou para Branquinho que balançou o rabo com olhar feliz. Finalmente, enquanto a menina acabava o banho, o cachorro deixou a preguiça de lado e correu até o quintal atrás do osso de borracha. Logo depois, Mariana, toda cheirosa, foi procurar o amiguinho peludo. Dessa vez Branquinho latiu de felicidade e jogou o osso nos pés dela convidando-a para brincar. Os dois correram felizes pelo quintal até o final da tarde. Seis horas, a mãe chamou Mariana para tomar uma vitamina de banana com aveia. Branquinho foi atrás e sedento, derrotou sua tigela de água.Autor: Antonio Marcos Pires