Bebedouro de garrafa pet solidario

Ahh eu não sei de quem foi a invenção para postar os créditos, mas posso afirmar que foi uma super hiper master idéia !

Tanto para ajudar cachorros da rua, como para o seu cachorrinho de estimação.

Agora no calor do verão, deixe sempre muita água para seu animalzinho ! principalmente para quem trabalha fora e fica o dia todo no trabalho.
Durante o dia a água da garrafa pet vai abastecendo o bebedouro deixando a água fresquinha !

Super facinho de fazer:

1 garrafa pet vazia e limpa

1 braçadeira de aluminio ( faça a sua com lata reciclada )

1 pote de sorvete vazio e limpo

Fixe a braçadeira no local em que quer que a água fique e encaixe a garrafa pet com a água fresca ainda tampada. Coloque o pote embaixo da boca da pet e destampe.
Quando o liquido da garrafa e do pote se encontram, a água para de sair.

Ela só volta a descer quando a água do pote for baixando.
Super prático isso neh ? amei…
2013-11-08-20-40-31
Bem… vou testar fazer um bebedouro com a garrafa de água de 5 litros.

Tô pensando em colocar algo assim do lado de fora de casa para ajudar os animalzinhos de rua neste verão…

#Fica a dica…
By Va
http://luxodelixoarte.blogspot.com.br/2012/11/bebedouro-de-garrafa-pet-muitooo-legal.html

Dica para refrescar o verão

Amigos,

Em meio ao calor e as altas temperaturas nosso melhor amigo sofre tanto ou mais do que nós
Segue uma simples dica recebida que sempre uso com os meus peludos, pra amenizar este calor ofereca ou coloque pedrinhas de gelo na vasilha de água do seu pet. A água fica fresquinha e eles adoram pescá-las e mascá-las. Vira brincadeira de verão!

Irmão animal

4
7

7

Cuidados com os pets no verão: hipertermia e câncer de pele são os maiores riscos nessa época do ano

Infestação de pulgas e carrapatos e alergias a picadas de insetos são outros problemas ocasionados pelas altas temperaturas

Cães sofrem com altas temperaturas. Com a chegada do verão, surge também uma série de riscos que exigem dos donos uma atenção especial com o pet. “Os cães acabam mais propensos a adquirir diversos problemas nessa época do ano por estarem muito expostos ao calor e à umidade”, explica o Dr. Marcelo Quinzani, diretor do Hospital Veterinário Pet Care.

Riscos das altas temperaturas

Alguns dos problemas causados pela forte onda de calor são doenças como hipertemia e câncer de pele, este último bastante comum em cães de pelo curto ou coloração mais clara. “Normalmente, as partes mais expostas ao sol, como pálpebras, ponta do nariz, orelhas ou mesmo abdômen são as regiões mais afetadas”, conta o veterinário.

Para diminuir o risco de câncer de pele, os passeios devem ser evitados em horários do dia em que o sol está mais forte, principalmente quando se tratarem de animais albinos ou despigmentados. Não é necessário suspender as caminhadas diárias, mas sim reduzir o percurso e restringir horários de saída. “O ideal é que os pets estejam utilizando protetores solares nas partes mais expostas como orelhas, barriga e focinhos”, completa.

Já a hipertemia – elevação exagerada da temperatura corporal e que acontece em escala bem maior em comparação ao câncer de pele – é causada pela forte exposição ao sol e às altas temperaturas. “Seja em passeios ao ar livre ou até mesmo dentro de ambientes fechados, como carros e canis, a hipertemia pode acontecer rapidamente e colocar o animal em risco de vida”, completa o especialista.

Marcelo conta que o animal não transpira pelo corpo, como os humanos. Sua única forma de trocar calor com o ambiente e equilibrar a temperatura do corpo é pela respiração. “Por isso, se o pet estiver com a respiração ofegante além do normal, ele pode estar tendo dificuldade em esfriar o corpo. Quando isso acontecer, o dono precisa buscar ajuda veterinária imediatamente”, esclarece.

Outro problema ocasionado pelo verão, que apesar de menos grave incomoda bastante cães e gatos, é a infestação de ectoparasitas. “Nesta época do ano, os cães podem sofrer com graves infestações de pulgas e carrapatos e ainda com picadas de mosquitos e pernilongos que podem lhes provocar incômodo e alergias”, explica o veterinário. Isso ocorre porque os parasitas encontram no pelo do cão o ambiente perfeito para se instalarem: calor e umidade.

Ajudando o pet a se refrescar

Para manter a saúde dos cães durante verão, é recomendado que as refeições sejam divididas e oferecidas em pequenas quantidades. “Muitos cães deixam de comer nas horas mais quentes do dia e procuram o alimento somente à noite. É importante oferecer frutas e legumes frios que poderão ajudar o animal a sentir menos calor”, explica o veterinário. “Outras maneiras de ajudar o cão a se refrescar sem ser pela respiração é deitá-lo no chão frio, oferecer água bem gelada ou até mesmo, matriculá-lo em aulas de natação”, completa.

Já os banhos, segundo Marcelo Quinzani, deixam o animal mais confortável em dias muito quentes e podem ser usados como um recurso para deixá-lo mais à vontade. “A tosa também pode ser indicada para animais de pelos mais longos e densos. É preciso somente tomar cuidado com a temperatura da água e do secador, que não devem estar muito quentes”, explica.

Sobre o Hospital Veterinário Pet Care

Fundado em 1990, o Hospital Veterinário Pet Care oferece a mais completa estrutura de atendimento clínico, cirúrgico e diagnóstico para pequenos animais. Seu corpo clínico é constituído por mais de 80 veterinários e especialistas altamente qualificados, com formação nas melhores escolas de Medicina Veterinária.

Com atendimento 24 horas para casos emergenciais, o hospital atende a diversas especialidades (entre elas cardiologia, neurologia, ortopedia, endocrinologia e dermatologia) e conta com equipamentos de diagnósticos de última geração, plano de saúde próprio (com direito a tratamento periodontal), salas de internação e Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Dicas – Como cuidar do seu pet no inverno

Saiba como cuidar do seu pet no inverno

Quando a temperatura cai, os bichinhos merecem atenção especial

Cachorro - Pet invernoNão é frescura: roupinhas são essenciais no inverno (Foto: Thinkstock)

Há quem acredite que roupinhas e banho com água quente sejam mimos exagerados de donos que tratam animais como gente. Na estação mais fria do ano, especialistas explicam que os bichinhos precisam de atenção especial e que esse tipo de medida é apenas o começo de uma série de cuidados que devem ser tomados.

Os especialistas Mário Marcondes dos Santos (diretor do Hospital Veterinário Sena Madureira), André Grespan (veterinário responsável pelo Wildvet) e Marcelo Quinzani (diretor do Hospital Pet Care) dão algumas dicas para quem tem cachorros, gatos, pássaros, peixes, roedores ou répteis em casa.

CACHORROS

No inverno, filhotes e cães idosos são os mais prejudicados. “Os mais velhos costumam sofrer com artrose e sentir dores na coluna e nas articulações”, explica Marcelo Quinzani. “Além disso, eles sentem mais frio porque a pelagem não é mais eficiente, a camada de gordura não é tão espessa e os músculos ficam atrofiados, o que diminui o metabolismo”, complementa o veterinário.

Alguns cuidados:

– Não deixar o animal tomar chuva ou ficar no vento

– Colocar roupas quentes em filhotes e cães idosos de pelo curto

– Usar caminhas com isolante para evitar que o colchão fique em contato com o chão frio. Uma dica é colocar um estrado embaixo

– Colocar edredons ou cobertores para o cachorrinho se aquecer

– Manter as vacinas em dia porque eles ficam com a imunidade baixa no inverno

– Manter o local onde o pet fica arejado, mas sem vento

– Evitar aquecedores porque eles ressecam o ambiente. Caso seja necessário, uma dica é espalhar toalhas molhadas e bacias com água para manter a umidade

– Escolher a hora mais quente do dia para dar banho, usar água morna e secar bem com secador

– Proteger bem os ouvidos para evitar otite

– Em caso de pouca sujeira, optar pelo banho seco (com gel ou lenço umedecido) para prolongar a duração do banho

GATOS

Pet inverno - gato(Foto: Carlos Cubi)

Os cuidados com os felinos são parecidos com os dos cães. “Uma dica para saber se o gato está com frio ou não é sentir as extremidades como as patinhas e pontas das orelhas. Se estiverem gelados é porque ele está com frio”, explica Mario Marcondes.

Alguns cuidados:

– Estimular banho de sol

– Manter a caminha com edredom e estrado embaixo para evitar a friagem que vem do chão

– Colocar roupas em gatos de pelagem muito curta

– Optar pelas camas tipo iglu porque eles gostam de se esconder

– Manter as vacinas em dia, em especial, a contra rinotraqueíte

PÁSSAROS

Pet inverno - pássaro na gaiola(Foto: Thinkstock)

Nesta época do ano, frio e vento fazem as aves passarem mal. “A corrente de ar fura a proteção da pena e rouba o calor da pele. É parecido com o efeito do vento sobre a blusa de lã nos seres humanos”, explica André Grespan.

Alguns cuidados:

– Evitar correntes de ar

– promover banho de sol para manter a temperatura do corpo

– Cobrir a gaiola à noite com uma lona ou tecido escuro. Cobertores e edredons não aquecem mais que outros tecidos, então, a sugestão é um cetim preto

– Vasilhas especiais para tomar banho devem estar sempre cheias para manter o ambiente umidificado

– Em locais muito frios, a dica é colocar uma lâmpada de cerâmica ou aquecedor no quarto onde a gaiola fica

PEIXES

Aquário - peixes(Foto: Thinkstock)

A primeira dica é descobrir que tipo de peixe você tem em casa. “O beta, por exemplo, é uma espécie de água quente e gosta de temperaturas entre 23º e 30º. Já as carpas são de água fria e gostam de temperaturas em torno de 19º”, explica Grespan.

Alguns cuidados:

– Checar a temperatura dos aquários com frequência

– Usar aquecedores em modelos maiores

ROEDORES

Pet inverno - hamster(Foto: Thinkstock)

Nesta categoria se encaixam animais como hamster e chinchilas. Os cuidados são simples e parecidos com os das aves.

– Colocar uma lona nas gaiolas à noite

– Comprar casinhas para o animal se esconder e se aquecer

– Usar papel picado para forrar a gaiola. O material funciona como isolante térmico e é fácil de trocar

RÉPTEIS

Tartaruga - pet inverno(Foto: Thinkstock)

Donos de iguanas, tartarugas, jabutis, cobras e afins também precisam ter atenção porque a temperatura dos répteis é a mesma do ambiente e isso interfere diretamente em seu metabolismo. “A imunidade também cai e os animais ficam mais suscetíveis a doenças”, alerta André Grespan.

Alguns cuidados:

– Placas de aquecimento para colocar no aquário

– Usar lâmpadas de cor vermelha porque são mais confortáveis. É uma frequência que eles não enxergam e ainda aquece

– Outra opção são as lâmpadas de cerâmica

– O proprietário precisa de criatividade quando o animal é muito grande. Uma sugestão é construir uma casinha com lâmpada especial dentro

– Para tartarugas de água, uma dica é estimular o banho de sol

http://vejasp.abril.com.br/materia/pet-cuidados-inverno/

 

Dicas de fim de ano – Cuidados com seu pet

​Campanha realizada pelo Irmão Animal, focando a conscientização e cuidados especiais nesta época.

Viagem de fim de ano, levar ou não seu pet?

Tudo vai depender para onde se vai, como se vai e como é o comportamento do seu pet. A primeira coisa a se pensar é: “Terei um local tranquilo e seguro para deixa-lo na minha ausência?”. A vontade de levar o nosso companheiro sempre é muito grande, mas precisamos pensar antes da decisão na qualidade de vida que ele terá durante esses dias de passeio.

Outro ponto importante é o transporte. Como será o transporte até o local? Se for de carro, com a família, para garantir a segurança de todos, é necessário usar o sinto preso a coleira ou a cadeirinha própria para o seu pet. Quanto ao comportamento do seu pet: se ele for uma animal calmo e tranquilo que está acostumado à passeios de carro, não haverá problemas. Porém, se seu pet for agitado ou não estiver acostumado a longos passeios, a viagem poderá ser um transtorno para ele e para seus tutores. Neste caso, o mais adequado para seria deixa-lo com alguém de confiança, que já esteja acostumado, ou em algum hotel para pets, com recreadores e veterinários. Assim, ele estará seguro e irá se divertir como você em sua viagem. É importante dizer que toda vez que for viajar com seu pet ou for deixa-lo em hotel apropriado, assegure-se de que a carteira de vacinação, a vermifugação e controle de ectoparasitas estão em dia.

fogosdicas

Quais os cuidados que amenizam os traumas dos fogos? Quais as dicas? O que fazer?

Os pets possuem uma capacidade auditiva até quatro vezes maior que a nossa, por isso, ruídos de trovões, fogos de artifícios, máquinas de tosas e até mesmo secadores, podem causar pânico em alguns deles. Para você ter ideia da sensibilidade deles, eles podem “sentir” a chegada de uma tempestade apenas com a queda da pressão atmosférica e mudança de temperatura. O medo, normalmente é relacionado a questões emocionais, pois eles associam o barulho a alguma vivencia ruim.

O medo do barulho, além de comprometer o bem-estar do pet, pode trazer diversos riscos à saúde. Ele pode tentar fugir de medo, correndo sem norte e se machucar em móveis e objetos da casa, ou até mesmo sair na rua e se perder ou ser atropelado. Além do stress, o pet pode sofrer com outros problemas de saúde nesta situação, com o aumento da frequência cardíaca ou com distúrbios gastrointestinais, principalmente em caso de animais idosos.

Geralmente as queixas são feitas por tutores de cães, pois os cães expressão o medo do barulho de forma mais intensa do que os gatos: correndo, latindo, chorando. Assim, normalmente o tutor busca ajuda veterinária para que seja possível controlar tal situação e evitar acidentes. Porém, os gatos também sofrem com barulhos e ruídos, e não podemos ignorar a situação, eles ficam assustados e tentam se esconder em lugares onde se sentem mais “seguros”.

Para acalmar o seu pet neste momento, procure ficar próximo dele, se possível com ele no colo, fazendo uma leve massagem na região do pescoço e dorso, mantendo a voz baixa e calma. Assim, ele se sentirá mais confortável e seguro.

Existem métodos para serem aplicados com os pets para que eles não tenham medo de barulho. Há alguns treinamentos para dessensibilizar o pet em relação ao barulho, que podem ser feitos por profissionais ou até mesmo por seu próprio tutor. Há vídeos com ruídos de trovões e fogos de artifícios disponíveis na internet, onde são colocados para os pets incialmente com volume bem baixo, aumentando gradativamente dia a dia, fazendo com que eles se acostumem com os barulhos e associem às situações rotineiras e agradáveis como jogar bolinha, carinho, etc.

ceia

Ceia na mesa, o que meu pet não pode comer?

Com o final do ano, aumentam os casos de animais que apresentam intoxicação alimentar ou problemas de pele por conta da ingestão inapropriada. É extremamente importante que a alimentação do seu pet seja mantida, com a ração ou alimento de costume, e que nada além disso seja oferecido.

Água fresca e alimentação saudável, apropriada para o pet, irão garantir um final de ano tranquilo, saudável e seguro para você e seu companheiro de patas!

CRÉDITOS:
Irmão Animal
Dra. Simone Nascimento é médica veterinária colaboradora da BioDog 
Empresa de petiscos caninos saudáveis e 100% naturais.

Dicas de fim de ano – Férias e Festas de fim de ano

Cat and Dog with Santas Claus hats on white background

As festas são vividas por todos os membros de uma família, e hoje podemos incluir nossos PELUDOS. Mas infelizmente neste período se não tomarmos alguns cuidados podemos ter surpresas desagradáveis. Os casos mais comuns de atendimento neste período são: intoxicação alimentar, ingestão de corpo estranho e acidentes e fugas durante a queima de fogos.

Procure durante a queima de fogos, colocar tampão de algodão nos ouvidos dos animais, coloca los em local tranquilo e seguro (longe de escadas, varandas) para evitar acidentes ou fugas. Importante que o cão ou o gato tenha sempre coleira com placa de identificação.

Podemos fazer também para animais que sabidamente já se estressam neste período, tratamento com florais por exemplo, leia nesta matéria sobre o assunto.

Evite, ou melhor, não dê sobras da ceia, pois a ingestão desses alimentos pode levar um quadro de intoxicação alimentar, tendo como principais sinais cólicas, vômitos e gastroenterite hemorrágica ou não. A maioria desses casos o animal precisa ser internado para receber medicação e fluidoterapia e com isso ao invés de “curtir” as festas com a família “curtirá” com o veterinário e o enfermeiro em uma clinica.

decoracao

Quanto aos enfeites, procure colocar fora do alcance principalmente de filhotes e de felinos porque as cores vibrantes os atraem. Choques ou queimaduras podem acontecer se roerem o fio do pisca-pisca, obstrução ou perfuração do trato digestor pode ocorrer como consequência da ingestão de um corpo estranho. Nesses casos você deve procurar uma clinica veterinária imediatamente.

Aproveitando o tema vamos falar de alguns cuidados na procura de hotéis e da viagem.

viagem-com-bichos
Quanto à escolha do hotel, busque referencias com amigos, visite o local conheça os responsáveis por cuidarem de seu animal na sua ausência, conheça as instalações se há local para se abrigarem do Sol e ate mesmo das chuvas e frio, se possuem assistência medica veterinária 24 horas (seja no local ou clinica veterinária), boas hospedagens exigem programa de vacinação em dia, assim como vermifugação, e uso de ectoparasiticidas. Os felinos não
reagem muito bem a mudanças de ambiente, por isso se a viagem for curta o animal pode ficar em casa desde que alguém o visite todos os dias para dar água, comida e higienizar a caixa de areia e oferecer carinho.

Se seu companheiro acompanha ló no passeio, é importante portar a carteira de vacinação em dia e atestado de saúde expedido pelo medico veterinário, isso se for dentro do país. Se a viagem for internacional, consulte a empresa aérea das exigências e obtenha certificado zoosanitario internacional. Se for de carro prefira horários mais frescos, use caixa de transporte adequada, efetue paradas estratégicas para “esticar as patas” e beber água, fazer as necessidades e BOA VIAGEM.

CRÉDITO:
Irmão Animal
Rafael Avellar
Médico Veterinário

Dicas de Fim de ano – Tranquilizando os animais nas festas de final de ano – foguetório

Muito importante!
Esta chegando a época de começar a se preocupar com os peludos

Tranquilizando os animais nas festas de final de ano – foguetório

Todos os anos, Fátima Borges e eu, Martha Follain, repassamos esse texto com dicas para acalmar nossos animais, agitados por conta do infernal foguetório. Geralmente, começamos o envio no mês de novembro, para que todos possam mandar fazer os florais e se prepararem.

Neste ano, com o compromisso que tenho em sempre melhorar o tratamento, estou indicando alguns óleos diferentes, fitoterapia, e cromoterapia. Quem quiser usar a recomendação dos anos anteriores, tudo bem!

Natal e passagem de ano 

Não há pior época para os animais do que as festas de fim de ano, isso porque o pânico que sentem com o barulho ensurdecedor dos fogos de artifícios é negligenciado pela grande maioria dos humanos, que esquece que a audição dos animais, principalmente dos cães, é muito maior que a nossa!

Muitos animais fogem apavorados e acabam perdidos e/ou atropelados, outros, na ânsia de se livrarem do intenso barulho, terminam enforcados em suas próprias correntes. Alguns animais têm convulsões e há ainda os que pulam das janelas de apartamentos, tamanho o pavor que sentem dos fogos. Não é difícil que um animal mude completamente seu comportamento após passar pela tortura de não ter como se livrar do intenso foguetório causado pelos humanos.

O pior de tudo é que, nessas épocas, dificilmente se encontrará veterinários disponíveis para um atendimento emergencial, daí, o mais acertado é prevenir. Todos os anos, a Terapeuta Martha Follain indica uma fórmula Floral para que todo o relato acima seja evitado, assim, pedi autorização para repassar às pessoas mais sensíveis a fantástica fórmula, pois é sem contraindicação, nenhum mal poderá causar ao seu bichinho, e ainda promoverá, certamente, a tranquilidade de todos e a certeza de que seu animalzinho ficará muito mais sereno!

Florais de Bach

Atenção: Quando for mandar manipular a fórmula Floral, lembre de avisar que a mesma NÃO poderá conter CONSERVANTES, portanto, O ÁLCOOL, A GLICERINA E O VINAGRE DE MAÇÃ estarão FORA! Nesta fórmula, somente poderá entrar ÁGUA MINERAL e, embora nas farmácias de manipulação costumem dizer que esta fórmula só dura dois dias, NA GELADEIRA, ela durará QUINZE DIAS, com certeza! Mande fazer em qualquer farmácia de manipulação (aquela que avia receitas):

Recomendação: Rescue + Cherry Plum + Rock Rose + Larch + Vervain + Sweet Chestnut.

Dosagem:

– para aves pequenas: 2 gotas da fórmula, 4 vezes ao dia, pode ser colocada no bebedouro;

– para aves médias: 4 gotas da fórmula, 4 vezes ao dia, pode ser colocada no bebedouro;

– para cães de pequeno e médio porte e gatos, 4 gotas da fórmula, 4 vezes ao dia, diretamente na boquinha;

– para cães de grande porte e gigantes, 6 gotas, 4 vezes ao dia, diretamente na boquinha de seu amigão;

– para cavalos ou animais de grande porte, 30 gotas, 4 vezes ao dia, no bebedouro.

Para se ter absoluto sucesso no tratamento, é interessante que haja continuidade no mesmo, lembrando de ministrar as gotinhas regularmente. Aconselha-se começar o tratamento pelo menos 5 dias antes do Natal e estendê-lo até o dia 3 de janeiro, já que algumas pessoas insistem em prolongar a barulheira!

Aromaterapia

Pingue 1 gota de óleo essencial de lavanda no alto da cabecinha do animal, antes do foguetório.

No caso de aves, passar um pano no fundo da gaiola com 1 gota do óleo essencial de lavanda com ½ copo americano de água destilada.

Para cavalos (para não dispararem), pingue 5 gotinhas de óleo essencial de lavanda + 5 gotas de óleo essencial de cipreste + 1 copo americano (200 ml) de água destilada na baia ou onde ele for estar.

IMPORTANTE: Procure uma boa loja de produtos naturais, ou farmácia de manipulação ou farmácia homeopática – compre óleos essenciais naturais. Os sintéticos, além de não provocarem o efeito desejado, podem causar alergias respiratórias.

Para comprar óleos puros, naturais, pela Internet, com preços juntos, eu, Martha Follain, indico:

www.phytoterapica.com.br 
São Paulo – SP
(11) 31686111

Fitoterapia

Macela: é tranquilizante. Misture 2 copinhos de café com infusão e 2 colheres de sopa das flores secas para 1litro de água. Dar durante o dia.

Cromoterapia

Acenda uma lâmpada de 40 watts azul no local onde o animal vai ficar.

Outras dicas para ajudar nossos amigos

Procure manter seus gatinhos num quarto fechado, confortável, com água, comidinha e, se possível, com música suave, onde ninguém tenha acesso. Deixe pelo menos uma porta de armário aberta para que eles possam entrar caso entrem em pânico, pois os gatos são muito sensíveis!

Quanto aos cãezinhos, também deverão ser mantidos num cômodo confortável, livres de correntes, com música suave, sem que pessoas estranhas tenham acesso ao cômodo. NÃO deixe muitos cães juntos, pois o pânico que os rojões geram pode ocasionar brigas com consequências irreparáveis.

Saiba que é muito importante proteger seu animalzinho, seja qual for! Não faça com o outro o que não quer pra si próprio! Se você não puder colocar os animais dentro de casa, coloque música suave nos canis e, de preferência, lembre dos FLORAIS E ÓLEOS ESSENCIAIS da Martha, principalmente se não puder atender à campanha anual da ONG FALA BICHO, a qual orienta que, nas festas de fim de ano: “BICHARADA, PASSA PRA DENTRO”.

Use as receitas acima para seus animais e repasse a indicação!

Fátima Borges é Professora de Português, Teatro Infantil, Poetisa, Artista Plástica, Vice-presidente da ONG DAAJ (Defesa Animal e Ambiental com Apoio Jurídico).

Martha Follain é Terapeuta Holística, para animais humanos e animais não humanos. CRTH 0243 .

www.floraisecia.com.br

Dicas de Fim de ano – Acidentes de Natal

 

Acidentes de Natal: pets podem levar choque ao roer fios do pisca-pisca

unnamed (3) 

Donos devem manter cães e gatos, principalmente filhotes, longe das árvores de Natal. Choques podem causar de queimaduras locais a edema pulmonar neurogênico nos animais

 

O pisca-pisca da árvore de natal representa um grande perigo aos animais de estimação. Cães e gatos, principalmente filhotes, podem roer os fios do enfeite e levar choques. “O ideal é manter árvores de natal e outros enfeites que contenham a luzinha fora do alcance dos animais”, comenta Marcelo Quinzani, diretor do Hospital Veterinário Pet Care.

Caso o dono não consiga evitar o acidente, ele deve levar o pet imediatamente ao veterinário. “Choques podem ser leves, causando queimaduras locais, ou graves, resultando em um edema pulmonar neurogênico de difícil tratamento”, alerta o especialista.

No momento do acidente, a primeira providência que o dono deve tomar é desligar o fio da tomada e nunca tentar retirar o cão com o fio ligado, uma vez que também pode ser eletrocutado. Também deve afastá-lo de possíveis poças d’água ou urina e nunca jogar água no animal.

 

Afastando o pet do perigo

Este tipo de acidente costuma ser mais comum com gatos, que possuem preferência maior por brincar com fios e escalar árvores, e também com filhotes. “Estes são extremamente curiosos e ainda não entendem limites, por isso é necessário que os donos impeçam o acesso à área onde o pinheirinho estiver localizado”, explica o veterinário, que reforça ainda que animais já adultos são mais fáceis de serem condicionados a ficar longe do local através de treinos e prêmios.

 

 

A rede Pet Care possui quatro unidades na capital paulista: Morumbi, Ibirapuera, Pacaembu e Tatuapé.

 

 

Hospital Veterinário Pet Care     

www.petcare.com.br

Dicas pra passar as festas de fim de ano, viagens em feriados e finais de semana com a turma peluda

pet-viagem

Já se organizou para as festas de final de ano com relação ao que vai fazer com os peludos?
Algumas questões são bem importantes para alguns e outras para outros dependendo do bicho que você tem e dos cuidados que eles podem requerer nessa época do ano. As dicas servem também para viagens em feriados e finais de semana se você os levar ou deixá-los em casa ou hospedados!
Vai ficar em casa?
Vai receber pessoas em casa nas festas? Já se organizou pra isso? O cão ou gato que dorme na sala em cima do sofá, vai ter que ceder o espaço pra visita? Eles são anti-sociáveis ou não estão acostumados com uma movimentação intensa em casa? Já pensou em como vai organizar esse meio de campo? Se o cão tá acostumado a dormir dentro de casa não vai querer coloca-lo na rua agora, certo? Então providencie um espaço adequado onde ele possa ficar bem, perto de você, sem incomodar ninguém e sem ser incomodado também. Faça a mudança de forma gradativa algumas semanas antes da data prevista para a chegada do pessoal. Ele tem medo de fogos? Fica arredio, agressivo ou apavorado? Então providencie algo que melhore esse estado mental pra que não estrague a festa. O que por exemplo? Uma caminha confortável em um local aconchegante, um local que não seja passagem, petiscos naturais e brinquedos para entretê-lo, florais para situações diversas como o medo por exemplo, adaptação, presença de crianças e novos bichos no ambiente, algumas homeopatias como o fator Estresse pet ou o Anizen para minimizar o estresse que essas alterações ambientais podem causar. Importante saber que nada disso funciona se você não determina limite aos seus bichos e se eles não estão devidamente socializados, daí já é assunto pra muita conversa extra! Gosto muito de indicar as caixas de transporte como caminhas/casinhas, pois é o lugar onde o bicho se sente mais a vontade, acomodado e protegido, principalmente em caso de fogos e tempestades, mas pra isso, igualmente como na maioria das outras situações temos que trabalhar no dia a dia dele. Se ele não descola de você, mantenha-o por perto, sem querer de uma hora pra outra colocá-lo em um local isolado onde ele nunca ficou pois isso vai propiciar mais estresse ainda! Preparar-se com antecedência ainda é a melhor opção.
Vai deixar os peludos em casa?
Programe-se muito bem, certificando-se de que quem virá alimentá-los realmente virá, que é uma pessoa de confiança e responsável. O plano B é sempre bem vindo caso o primeiro cuidador tenha algum problema e não possa comparecer. Não é apenas alimentar e sair correndo os cuidados que necessitam esses seres. Lavar comedouro e bebedouro, trocar a água diariamente, recolher fezes, lavar o local onde ficam, se necessário, são atitudes que se esperam de cuidadores comprometidos, principalmente os prestadores de serviço contratados. Passear com o cão pode ser uma opção dispensável principalmente se ele não está acostumado com o passeador e isso pode gerar mais problemas do que bem estar, como fugas, trancos na guia, machucados, traumas e etc. Certifique-se sempre de que a pessoa que cuidará dos seus amigos é um “ser do bem”.
Viagem
Vai viajar e vai levar a galera peluda?  Alguns hotéis já aceitam pets como hóspedes dentro de suas instalações, outros indicam hotéis para cães nas redondezas sendo que você pode passar por lá e leva-lo junto em alguns passeios mas também pode optar por não levá-los em outros.  De qualquer forma é sempre interessante levar junto o kit viagem com a caminha, brinquedos, alimento a que está habituado (AN ou ração), água mineral se for o caso, protetor solar, coleira e guia, bebedouro e comedouro, kit de medicamentos de emergência/ kit naturebae tudo o mais que ele está acostumado e que pode mantê-lo mais próximo do seu dia a dia e da sua rotina doméstica, sem cheiros estranhos. Se você tem o excelente hábito de alimentá-los com Alimentação Natural não deixe de se programar pra fazer as porções, congelar e acondicionar para transporte organizando-se para a quantidade de dias que vai ficar viajando com ele(s). Se você não quer ou não pode fazer, acondicionar, transportar ou armazenar as comidinhas feitas por você, que tal pensar em levar uma versão em lata sem conservantes, fácil de transportar e armazenar? A linha Pet Delícia de alimentos caseiros para cães e gatos é uma excelente pedida!
Importante escolher locais que tem uma área de socialização externa, com gramado, sombra, brinquedos, assim como área coberta para caso de mau tempo. A presença de cuidadores para brincarem e cuidarem dos peludos também é muito importante. Outro fator que deve contar para ajudá-lo a escolher o melhor local para a turma peluda é poder optar por não usar as famigeradas químicas anti-pulgas e anti-carrapatos, mas utilizar repelentes naturais como o neem, o P&P talco e P&P animal glóbulos sem a obrigatoriedade de envenenar seu bicho nas férias! Fizemos um post sobre controle natural de parasitas de cães e gatos de forma natural. Dê uma boa lida nas dicas!
As vacinas e a obrigatoriedade de fazê-las para hospedagem e mesmo para simples banhos em petshops é outra coisa que incomoda muito. O Vaccicheck deve ser suficiente para demonstrar a imunidade do peludo com relação às vacinas core. Se você ainda não está por dentro dos novos protocolos vacinais anuais, sem abusos, sem visão comercial estrita e baseado em trabalhos científicos da imunologia veterinária internacional e também na prática clínica de grandes nomes da Medicina Veterinária comprometida com o paciente e não apenas com o lucro que ele gera, acho que está na hora de você ler o artigo da Dra. Sylvia Angélico que explica vários desses pontos de forma científica e didática. Leia aqui. Portanto,  hotéis e estabelecimentos de banho e tosa devem se adequar a essa nova realidade, de que existem tutores que não estão dispostos a modificar hábitos saudáveis deixando seus queridos bichos a mercê de regras sem embasamento científico, baseadas em informações retrógradas e ultrapassadas relacionadas aos cuidados com controle de parasitas e doenças infecto contagiosas. Uma boa inspeção de cada peludo na chegada ao local, feita por um veterinário consciente de visão equilibrada, pode evitar todas essas químicas e excessos! Cobre isso dos estabelecimentos que você e o seu peludo frequentam!
Vai levar para a casa do parente ou do amigo?  Certifique-se de estar levando tudo o que precisa para que as festas de fim de ano sejam regadas a alegria e descontração. Leve guia e peitoral para levar seu peludo ao passeio ou mantê-lo sob controle em situações que sejam necessárias. Novamente a caixa de transporte aqui é uma excelente opção para manter o seu amigo seguro e fora de circulação se isso for necessário. No translado de carro não deixe de fixá-lo no cinto de segurança para que possa transportá-lo de forma segura. Para isso existe no mercado um adaptador de cinto de segurança que permite acoplar de forma segura o cinto do carro a argola do peitoral. Forre os bancos do carro para melhor higiene em caso de vômitos, xixis e fezes. Leve panos e álcool gel para limpar as sujeirinhas e não esqueça dos saquinhos para recolher a caca! Nunca leve seu cão dentro do porta malas fechado!!!!!! Mantenha o interior do carro arejado! Não permita que o cão coloque a cabeça pra fora do carro pois além de você levar uma multa, ele pode se machucar, te atrapalhar à direção e ainda fazer uma otite, rinite e/ou conjuntivite por vento e friagem!
Alimentação e água
Não esqueça de levar água fresca em um isopor ou bolsa térmica. Evite as embalagens de plástico e dê preferência às de vidro, sempre! Se o seu bicho come ração, leve-a. Nem sempre no lugar pra onde você vai encontrará a mesma marca de ração que costuma usar no dia a dia e não seria nada interessante ter que mudar o alimento abruptamente e encarar uma diarreia no meio das suas férias, certo?
Seu bicho é integral e come Alimentação Natural (AN) caseira balanceada? A melhor opção é fazer as porções completas congeladas (sem os complementos que devem ser adicionados na hora ou suspensos durante viagens curtas de até uma semana). Com as porções congeladas bem embaladas para não descongelarem fica fácil e prático de se organizar durante seus passeios. Outra possibilidade é usufruir da praticidade de boas marcas de alimento natural caseiro congelado para cães presentes no mercado como a Pet delícia por exemplo que tem apresentação em lata (sem conservantes químicos) que dispensa o congelamento ou acondicionamento refrigerado.
Aliás, quanto menos alimento no translado melhor! Menores serão as chances dele vomitar ou ter diarreias.
Outro quesito importante é lembrar que alimentos com condimentos que o bicho não está acostumado não são indicados. Sempre que for experimentar algo novo tem que que ser de forma gradativa. Então, CUIDADO COM RESTOS DE CEIAS! maioneses, caldas doces, doces, comidas condimentadas NÃO SÃO APROPRIADAS para a tchurma peluda!!!! OK? Agora, se o perú, chester, arroz branco (SEM PASSAS e sem CEBOLA), vegetais e tudo o mais já estiver no cardápio dele, porque não?
Outras dicas importantes sobre viagens com os cães :
  • Coloque uma plaquinha de identificação SEMPRE! Com seus dados gravados, de forma legível e que não se apague. Perder um cão em locais movimentados  é muito comum e você pode terminar suas férias de forma trágica se não se preparar pra isso.
  • Leve um kit de emergência principalmente se o seu bicho for integral! Não se acham produtos desses com facilidade por aí. Veja a postagem que fizemos pra você sobre esses cuidados aqui.
  • Não esqueça a carteirinha de vacinas com a vacina de raiva de  “obrigatoriedade  anual” em dia para não ter problemas de fiscalização.  Apenas a anti rábica é obrigatória!
  • Identifique clínicas veterinárias no trajeto e no destino, inclusive que atendam emergências, e deixe os contatos desses locais sempre a mão.
  • Verifique se os locais onde pretende passear e hospedar-se aceita cães do porte e temperamento do seu! Aliás, se o seu amigão não é lá muito educado, talvez fosse uma excelente ideia você traçar uma outra estratégia que não fosse a de levá-lo junto (hospedagem ou cuidador em casa) e já se programasse para no próximo ano ajustar seus probleminhas de comportamento como latido excessivo, indisciplina, agressividade e tantos quadros comportamentais desagradáveis que na maioria das vezes são deixados de lado e vão agravando-se a cada dia. Educação canina com profissionais capacitados e o uso de medicina holística (homeopatia e acupuntura) com acompanhamento profissional especializado é uma excelente forma de proporcionar ao seu companheiro peludo e aos humanos que irão conviver com ele bem estar, equilíbrio e saúde, sem provocar problemas com a família, vizinhos e companheiros de viagem. Não esqueça que final deano é época de confraternizar e recarregar de forma positiva as energias pra mais um ano de realizações e vivências produtivas, harmoniosas e saudáveis!