Frio – Cuidado para aquecer o corpo e o coração


Os filhotes estão no grupo dos que sentem mais frio e precisam de recursos como cobertores e roupinhas para ficarem aquecidos e longe das doenças.

Os termômetros e os agasalhos saem do armário e não negam: o frio chegou, inclusive para os peludos. Cães e gatos também sofrem com as baixas temperaturas e ficam sujeitos a problemas de saúde típicos do inverno, bem como precisam de proteção para se manterem aquecidos. Dentre o grupo que mais necessita de atenção estão os animais com problemas osteo articulares, cujas dores tendem a aumentar com o frio, além dos idosos e dos filhotes.

A sensação de frio varia muito entre um indivíduo e outro, visto que o tipo de pelagem, a camada de gordura e o estado de saúde do bicho influenciam como um todo. “O husk siberiano, por exemplo, não dá a mínima para as baixas temperaturas, pois tem pelo apropriado. Enquanto isso o pinscher morre de frio, pois quase não tem pelo. Já os gatos gostam de tudo que for morninho”, diz o veterinario.

Para evitar problemas de saúde e dar conforto ao bicho de estimação, os donos devem oferecer um local protegido e boa alimentação (para evitar queda de imunidade), além de recursos como roupinhas e vacinação contra doenças virais. A imunização contra a gripe e a cinomose, doenças mais comuns do inverno, é feita anualmente. No caso dos gatos, a vacina é contra viroses respiratórias, lembramos que alergias também costumam aparecer nesta época.

Medidas simples são essenciais para se manter o animal saudável seguindo algumas recomendações: “O ideal é manter o pelo mais longo, dar banho somente quando necessário, com água morna e secando com secador, colocar roupinha e cobertores especialmente nos animais de pelagem curta, não passear em horários muito frios e aumentar a quantidade de ração para os cães que não sejam sedentários ou obesos”.

Os cachorros que ficam em áreas externas devem ter casinha em local seco e fora de correntes de ar. É interessante forrar a casinha com papelão e cobertores e, segundo a profissional, os que gostam de dormir ao relento devem ficar presos em local abrigado. Os sintomas típicos das doenças do trato respiratório são coriza, secreção purulenta ocular e ou nasal, espirros e tosse.

Diante das recomendações e preocupados com os cuidados aos animais assistidos pelo grupo, anualmente o Irmão Animal, lança a campanha educativas, além da distribuição de roupas, cobertores e camas. O objetivo é arrecadar cobertores que são destinados aos cães e gatos que se encontram nos lares provisórios.

Segundo Carla Maduro responsável pelo Irmão Animal, o grupo está atualmente com a posse de 20 animais que demandam diferentes cuidados. “Cuidamos de idosos, que sentem muito frio, animais especiais, cegos e deficientes que foram abandonados, ou estão em tratamento para recuperação da sua saúde. “Não podemos deixar os animais que estão nas ruas sem possibilidade de se proteger, entregamos sempre a pedidos de moradores, camas de pneu feitas sob encomenda especialmente para estes peludos”.

O Grupo aceita doações de roupinhas, toalhas, potes, caminhas, coleiras, remédios, rações, além dos cobertores que podem ser entregues nos postos de arrecadação ou a combinar a retirada com o doador. “As doações são efetivas para que o trabalho em prol dos animais continue. Por exemplo, cuidamos de uma cadela idosa que só pode comer ração intestinal, cujo saco de 7kg custa R$ 200″, ressalta Carla Maduro.

A ajuda de todos é muito importante. Muitas vezes o que você tem em casa e não te serve pode salvar uma vida, aquecendo o coração e corpo.
Seja solidário!
Ajude, doe
Irmão Animal