Médico e cão de SC vão percorrer 100 países ‘em busca da felicidade’

portalaconteceu-93ee8e83efddf07a97e9
Eles saíram de Balneário Camboriú há 2 anos e já cruzaram o Brasil.
Psiquiatra vai transmitir ‘faculdade da vida’ em uma página pessoal na web.

“Em busca da felicidade”, o psiquiatra Davi Vidigal e o cão Butão devem percorrer 100 países em cinco anos. Desde 2013 na estrada a bordo de um motorhome, o médico conversa com moradores dos locais por onde passa para descobrir como as pessoas lidam com questões como a morte, a solidão, o casamento e o entendimento do que é ser feliz.

Os dois amigos saíram de Balneário Camboriú, no Litoral Norte de Santa Catarina, há dois anos e já percorreram o Brasil de Norte a Sul, o Uruguai e uma parte da Argentina. Depois de entrevistar mais de mil pessoas, concluiu que, para a maioria a felicidade é, em primeiro lugar, estar com quem gosta, em segundo, não ter dívidas e, em terceiro, ter um trabalho.

O motorhome é equipado com três placas solares, que garentem energia no interior do veículo. O pequeno lar montado sobre rodas também é um experimento: o médico quer demonstrar que é possível, sim, ser feliz em uma casa pequena.

Sonhos
“Em 20 anos como psiquiatra, e a partir do que ouvi das pessoas durante a viagem, concluí que tudo que fazemos na vida é para buscar felicidade, cada mudança, cada atitude. Além disso, observei que somente as emoções produzem mudanças reais no nosso comportamento para concretização de sonhos”, disse o médico.

Vidigal quer proporcionar a mais pessoas a experiência da viagem, por isso vai transmitir pela internet em uma página pessoal o que viver neste período. “Como só a emoção produz mudança, espero que as pessoas se emocionem com o que experimentarmos durante esta jornada”, explicou.

Na próxima etapa, a dupla deve percorrer o interior do Brasil, de Minas Gerais ao Acre. “O destino vou traçando pelo caminho’, diz o médico, que também aproveita as viagens para dar palestras e fazer cursos.

‘Faculdade da vida’
Para os interessados nas aventuras do psiquiatra e do cão Butão nesta primeira parte da viagem, ele resume: “Não existe dica de felicidade, cada um deve encontrar a sua, à sua maneira. Hoje, tudo está ficando muito enlatado, alguém diz que devemos ter a barriga de uma certa forma, que os músculos têm que ser desta ou daquela maneira… Tudo virou mero compromisso, o trabalho, os relacionamentos. Às vezes, você deixa de ser você para ser autor da sua história”, completa.

Davi diz que vai cursar ao longo desses cinco anos de projeto a “faculdade da vida”. “A proposta é simples, mostrar para as pessoas que o mundo é bom… Que o grande antidepressivo ainda está na convivência amigável…Na forma afetiva de viver… A gente só se transforma pela emoção”, explica.

O nome do companheiro de viagem de Davi não foi escolhido por acaso. O Butão é considerado o país mais feliz do mundo. É do tamanho do estado do Rio de Janeiro e fica no sul da Ásia, entre a China e a Índia, onde foi criado o termo Felicidade Interna Bruta (FIB).

Fonte: G1