Dicas de fim de ano – Cuidados com seu pet

​Campanha realizada pelo Irmão Animal, focando a conscientização e cuidados especiais nesta época.

Viagem de fim de ano, levar ou não seu pet?

Tudo vai depender para onde se vai, como se vai e como é o comportamento do seu pet. A primeira coisa a se pensar é: “Terei um local tranquilo e seguro para deixa-lo na minha ausência?”. A vontade de levar o nosso companheiro sempre é muito grande, mas precisamos pensar antes da decisão na qualidade de vida que ele terá durante esses dias de passeio.

Outro ponto importante é o transporte. Como será o transporte até o local? Se for de carro, com a família, para garantir a segurança de todos, é necessário usar o sinto preso a coleira ou a cadeirinha própria para o seu pet. Quanto ao comportamento do seu pet: se ele for uma animal calmo e tranquilo que está acostumado à passeios de carro, não haverá problemas. Porém, se seu pet for agitado ou não estiver acostumado a longos passeios, a viagem poderá ser um transtorno para ele e para seus tutores. Neste caso, o mais adequado para seria deixa-lo com alguém de confiança, que já esteja acostumado, ou em algum hotel para pets, com recreadores e veterinários. Assim, ele estará seguro e irá se divertir como você em sua viagem. É importante dizer que toda vez que for viajar com seu pet ou for deixa-lo em hotel apropriado, assegure-se de que a carteira de vacinação, a vermifugação e controle de ectoparasitas estão em dia.

fogosdicas

Quais os cuidados que amenizam os traumas dos fogos? Quais as dicas? O que fazer?

Os pets possuem uma capacidade auditiva até quatro vezes maior que a nossa, por isso, ruídos de trovões, fogos de artifícios, máquinas de tosas e até mesmo secadores, podem causar pânico em alguns deles. Para você ter ideia da sensibilidade deles, eles podem “sentir” a chegada de uma tempestade apenas com a queda da pressão atmosférica e mudança de temperatura. O medo, normalmente é relacionado a questões emocionais, pois eles associam o barulho a alguma vivencia ruim.

O medo do barulho, além de comprometer o bem-estar do pet, pode trazer diversos riscos à saúde. Ele pode tentar fugir de medo, correndo sem norte e se machucar em móveis e objetos da casa, ou até mesmo sair na rua e se perder ou ser atropelado. Além do stress, o pet pode sofrer com outros problemas de saúde nesta situação, com o aumento da frequência cardíaca ou com distúrbios gastrointestinais, principalmente em caso de animais idosos.

Geralmente as queixas são feitas por tutores de cães, pois os cães expressão o medo do barulho de forma mais intensa do que os gatos: correndo, latindo, chorando. Assim, normalmente o tutor busca ajuda veterinária para que seja possível controlar tal situação e evitar acidentes. Porém, os gatos também sofrem com barulhos e ruídos, e não podemos ignorar a situação, eles ficam assustados e tentam se esconder em lugares onde se sentem mais “seguros”.

Para acalmar o seu pet neste momento, procure ficar próximo dele, se possível com ele no colo, fazendo uma leve massagem na região do pescoço e dorso, mantendo a voz baixa e calma. Assim, ele se sentirá mais confortável e seguro.

Existem métodos para serem aplicados com os pets para que eles não tenham medo de barulho. Há alguns treinamentos para dessensibilizar o pet em relação ao barulho, que podem ser feitos por profissionais ou até mesmo por seu próprio tutor. Há vídeos com ruídos de trovões e fogos de artifícios disponíveis na internet, onde são colocados para os pets incialmente com volume bem baixo, aumentando gradativamente dia a dia, fazendo com que eles se acostumem com os barulhos e associem às situações rotineiras e agradáveis como jogar bolinha, carinho, etc.

ceia

Ceia na mesa, o que meu pet não pode comer?

Com o final do ano, aumentam os casos de animais que apresentam intoxicação alimentar ou problemas de pele por conta da ingestão inapropriada. É extremamente importante que a alimentação do seu pet seja mantida, com a ração ou alimento de costume, e que nada além disso seja oferecido.

Água fresca e alimentação saudável, apropriada para o pet, irão garantir um final de ano tranquilo, saudável e seguro para você e seu companheiro de patas!

CRÉDITOS:
Irmão Animal
Dra. Simone Nascimento é médica veterinária colaboradora da BioDog 
Empresa de petiscos caninos saudáveis e 100% naturais.

About the author: Irmão Animal

Leave a Reply