Como doar um animal?

Caso seja um animal que já convive com você, primeiramente certifique-se de que suas razões para disponibilizar a vida do animal para adoção sejam inevitáveis (o que quase nunca são). Uma sugestão para isso é colocar-se no lugar dele, como uma criança da família, um ser dependente, e sentir o que gostaria que fizessem com você. Lembre-se de que animais já apegados a pessoas sofrem muito com a separação, e que demonstram preferir enfrentar junto com sua família algumas adversidades do que serem repassados para outro lugar.
. Mudança de casa para apartamento, ou para lugar menor não é motivo para se desfazer dele, pois é mais um filho e deve acompanhar a família na mudança. Nenhuma normativa de condomínio pode lhe proibir de ter seu animal em sua residência.Para saber mais acesse: http://www.institutoninarosa.org.br/perguntas-frequentes/145-animais-em-condominio
. Gravidez da guardiã ou alergia de algum membro da família, melhor informa-se melhor, pois alguns médicos preferem orientar o abandono do animal do que procurar as verdadeiras causas.
. Problemas de comportamento podem tentar ser resolvidos com especialistas.
Caso vc queira encaminhar algum cão ou gato que você resgatou para cuidar e preparar para adoção, providencie fotos digitais para enviar aos sites de adoção, juntamente com um relato sobre o animal.
Seguem algumas indicações:
Irmão Animal Blog Adoção: caespetropolis.wordpress.com

 

As fotos servirão também para a confecção de cartazes que você poderá afixar em clínicas veterinárias, petshops e casas agropecuárias. É nestes lugares que comumente as pessoas buscam cães e gatos para adoção.

Coloque anúncio promovendo a adoção na seção de classificados do principal jornal de sua cidade.

Outra opção é encaminhar a adoção através das feiras realizadas por ONGs ou protetores independentes. Uma relação de feiras pode ser acessada clicando-se aqui.

Cuidados ao encaminhar um animal para adoção

  • antes de doar, providencie a castração do animal. Saiba mais clicando aqui . Se o candidato à adoção desejar um animal não castrado, busque conscientizá-lo sobre a importância da esterilização. E jamais doe um animal não castrado para o candidato, pois ele pode estar buscando animais para procriar, atividade que comumente implica maus-tratos;
  • faça uma entrevista cuidadosa com o candidato à adoção, preferencialmente indo ao local onde ficará o cão ou gato, a fim de verificar se o mesmo tem condições de receber o animal. E também para evitar que cães e gatos sejam vítimas de crueldades, sendo adotados para rinhas, procriação e venda (especialmente os de raça), rituais etc, ou por pessoas desajustadas que só querem o animal para maltratá-lo;
  • não doe o animal se o candidato não assinar um TERMO DE RESPONSABILIDADE. Veja modelo clicando aqui;
  • tenha cuidado especial com pedidos para filhotes de gato todo preto, comumente usado em rituais religiosos, especialmente os não-castrados;
  • se o candidato declarar que está adotando devido à morte de outro animal, informe-se sobre o motivo do óbito, prevenindo futuras contaminações por doenças como cinomose e parvovirose, altamente contagiosas e que deixam o local infectado.

Desejamos muita inspiração e consciência para que a adoção se realize de forma conveniente e harmoniosa para todos os envolvidos.

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA O ENCAMINHAMENTO DE ADOÇÃO DE CÃES E GATOS

1. Faça uma entrevista cuidadosa com o candidato à adoção a fim de verificar se o mesmo tem condições de tutelar o animal, inclusive indo ao local onde ficará o cão ou gato. Não entregue o animal sem que o adotante tenha respondido a um Questionário de Adoção e assinado um Termo de Responsabilidade. Modelo destes documentos pode ser baixado clicando-se aqui. O termo, além de representar certa proteção jurídica ao animal, tem um efeito psicológico importante junto ao candidato ao reforçar a seriedade do ato de adoção e do comprometimento com o animal. Estas medidas buscam evitar que estes sejam vítimas de crueldades, sendo adotados para rinhas, procriação, venda, rituais, etc. Imprima a página sobre Adoção Consciente do Olhar Animal, para entregá-la ao candidato.

2. Se o adotante declarar que deseja animal não castrado, busque conscientizá-lo sobre a importância da esterilização. A ação educativa é tão essencial quanto a de castração. OOlhar Animal remete mensagem automática sobre o tema a todos que nos enviam este Formulário de Adoção, mas é importante reforçar. E jamais doe um animal não castrado.

3. É bastante comum o pedido de animais de raça. Os motivos variam, algumas vezes a referência é feita pelo candidato apenas para indicar o porte desejado. Outras, para indicar o tipo de comportamento esperado. Mas é comum estar ligada exclusivamente a aspectos estéticos. Isso se deve à falta de consciência e sensibilização dos adotantes para o valor intrínseco dos animais. E isso só mudará pelo trabalho educacional, pela mudança de valores. Portanto, considere estes pedidos como, no mínimo, uma boa oportunidade para a conscientização. Muitos são bons adotantes. Inclusive, vários tem sido os casos em que, após uma boa conversa, o candidato resolve adotar um SRD. O Olhar Animal indica a leitura de artigos sobre o tema a todos os candidatos que pedem animais de raça.

4. Caso o candidato declare ter havido a morte de outro animal, informe-se detalhadamente sobre o motivo do óbito, prevenindo futuras contaminações por doenças como cinomose e parvovirose, sendo que no caso desta última o vírus sobrevive no ambiente por um período superior a 6 meses.

5. Esclareça ao adotante que a aplicação de vacinas polivalente e antirrábica deve ser anual. É comum acreditarem que, ao receberem um animal vacinado, nunca mais terão que vaciná-lo.

6. Tenha cuidado especial com pedidos para filhotes de gato todo preto (usado em rituais, especialmente os não castrados) e qualquer animal de raça não castrado, para que não seja usado para procriação. Gato todo branco também é usado em rituais, com práticas que vão do corte das orelhas ao sacrifício.

7. Não permita que o internauta adote um animal para entregá-lo a terceiros sem que a pessoa que vai receber o cão ou gato saiba desta intenção. A surpresa pode resultar em abandono ou outros problemas, seja pelo desconhecimento que o verdadeiro adotante tenha sobre aspectos da guarda responsável, ou mesmo por ele simplesmente não desejar o animal.

8. Se o candidato for menor de 18 anos, sempre fale com a pessoa responsável por ele. A responsabilidade civil e criminal sobre o que ocorrer com o animal após a adoção será desse responsável, não do menor.

9. Se o animal for viver em um apartamento ou mesmo numa casa com janelas altas, verifique se essas estão com tela de proteção.

10. Finalmente, sempre esclareça ao candidato que animais não são objetos. São seres sensíveis e com consciência própria, não um produto que pode ser trocado ou jogado fora ao apresentar “problemas” ou tornar-se “obsoleto”!

 

Doação de animais: dicas e cuidados – Projeto Batalha Animal – São Paulo

A doação de cães e gatos e outros animaizinhos exige certos cuidados.

Mesmo conhecendo o candidato à adoção, ou este sendo indicado de algum amigo ou parente, procure conhecer pessoalmente a pessoa e o local onde seu animal vai, fique de olho para que seu bichinho não seja levado para qualquer lugar ou seja repassado para terceiros

Doações pela Internet também têm ajudado muitas pessoas e animais, porém alguns cuidados devem ser tomados.

Algumas ONGs de proteção animal costumam pedir Xerox autenticado de RG, CPF e comprovante de residência para candidatos à adoça de animais. Outras ainda exigem a assinatura de termos de compromisso de posse responsável, onde a pessoa se prontifica a devolver o animal em caso de maus tratos ou inadaptação do mesmo.

Mas se você não quiser fazer o mesmo, peça telefone, endereço e visite o local antes de doar.Você tem o direito e o dever de saber onde e como seu mascote vai viver.

Não permita que o adotante vá buscar o animal. Pegue o endereço para você conhecer o local onde o animal vai ficar. Caso a pessoa não queira fornecer o endereço, não doe.

Certifique-se para que seu bichinho não caia nas mãos de pessoas inaptas ou alguns criadores inescrupulosos que confinam os animais em canis ou gatis pequenos e sujos, tirando cria indiscriminadamente, para descartá-los aos 6/7 anos quando não poderão mais procriar. Alguns até criam os animais em gaiolas.

Desconfie de quem tem muitos animais e quer fêmea de raça, porém os machos também são usados para procriação, sendo logo depois descartados.

Nem sempre essas pessoas possuem canil, às vezes são criadores de fundo de quintal que têm a ilusão de ganhar dinheiro com comércio de animais, e querem iniciar a criação com apenas um ou dois cães.

Se for para doar para pessoas que querem o animal apenas para guarda, visite o local antes para ver se vão deixar o cão em um lugar adequado, com abrigo para chuva e sol, e não acorrentado ou confinado em pequenos canis de fábricas, estacionamentos, empresas, postos de gasolina, depósitos, favelas, sítios, fazendas…

Atenção: Atualmente tem pessoas adotando cães de grande porte para alugá-los para guarda. Muitas vezes estes animais são alimentados dia sim, dia não, e quando ficam doentes e velhos são descartados.

Dê preferência para famílias que tenham condições financeiras para arcar com gastos (rações, vacinas, produtos para parasitas), e que possam cuidar do animal com carinho.

Explique que o animal deve ser devolvido para você caso ele não se adapte, para que você possa escolher outra pessoa para adotá-lo. Se você não aceitá-lo, saiba que ele poderá ser repassado para qualquer pessoa, e você o perderá de vista.

Castre seu animal antes de doá-lo para evitar que ele seja explorado comercialmente por pessoas que querem apenas tirar crias para vender. Com isso você também estará contribuindo para o controle de natalidade animal, evitando nascimento descontrolado, abandono e morte de cães e gatos.

Não se recomenda doar cães e gatos adultos para sítios ou casas de veraneio. Eles poderão fugir e nem sempre os caseiros cuidam bem do animal. Animais adultos que vão para sítios vão instintivamente correr atrás de outros animais como galinhas, porcos, etc…,por causa deste comportamento muitos cães e gatos apanham, são mortos ou vivem aprisionados nestes lugares. Os filhotes ainda podem crescer acostumados soltos e com outros animais.

Os sites de doação/adoção são muito úteis para ajudá-lo a recolocar um animal.

Mas procure também orientar-se com protetores e Ongs de proteção animal, que poderão ajudá-lo bastante na divulgação de seu bicinho.

Não tenha pressa, às vezes escolher uma pessoa adequada pode demorar dias, semanas e até meses.

O importante é que o animal seja bem colocado, não seja abandonado futuramente, ou fuja por negligência dos adotantes.

Tenha em mente que o adotante deve ser responsável, ter condições financeiras, local adequado e tempo para cuidar do bicho.

Não doe para crianças ou jovens sem antes conversar com os pais ou responsável.

O animal pode estranhar inicialmente o novo ambiente, e pode tentar fugir. Por segurança, se possível, doe o animal com uma coleira com plaquinha de identificação com o seu telefone celular e/ou do novo proprietário com código da cidade. Vários pet shops vendem plaquinhas. Em São Paulo tem em vários pets e nas lojas COBASI E PET CENTER MARGINAL.

Segundo algumas ONGs e protetores de animais, já ocorreram casos de doações desastrosas. A  MÍDIA TEM NOTICIADO COM FREQÜÊNCIA CASOS DE ANIMAIS ARRASTADOS POR CARROS MOTOS, ESPANCADOS ETC…

Fique atento para que o seu animalzinho não caia nas mãos de pessoas:

*desequilibradas que adotam animais e os agridem ou matam porque o animal fez suas necessidades em local errado, ou roeu um objeto…

*psicopatas que adotam cães e gatos para matar por prazer

*pervertidos que adotam cães e gatos para estuprá-los

*que adotam animais para serem sacrificados em rituais religiosos

*que adotam animais para alimentarem cobras de estimação

Não doe sem checar as informações. Algumas pessoas mentem, dando nome, telefone e endereço falsos.

Pesquise sites de adoção/doação de animais na Internet.

Fonte: PROJETO BATALHA ANIMAL – SÃO PAULO

Texto adaptado do INR: http://www.institutoninarosa.org.br/perguntas-frequentes/143-como-doar-um-animal e olharanimal.net

About the author: Irmão Animal

Leave a Reply